Expor devedor em redes sociais pode resultar em processo judicial
Cobrança, Destaque

Expor devedor em redes sociais pode resultar em processo judicial

Facebook, Instagram, Twiter são apenas alguns das várias redes sociais existentes no mundo. Seja por meio do computador, celular ou tablete todos querem estar conectados. Em tempos de conexão, a praticidade que esses dispositivos permitem no âmbito profissional é levada em total relevância. No ramo da cobrança, usar as redes sociais, não é o mais indicado.

É aconselhável, para realizar a cobrança,  usar sempre canais de comunicação que identifique a empresa, por exemplo, um próprio e-mail institucional, o telefone da empresa ou algum aplicativo da instituição que permita tal acesso.

Expor o cliente em situações em que possam constrangê-lo, mesmo que em rede social, pode resultar em ação judicial, como publicado no site Portal G1 o caso ocorrido em junho deste ano na cidade de Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul, em que um comerciante foi condenado a pagar 1,5 mil por dano moral a um cliente após cobrar a ele por meio de uma rede social.

Segundo o site, a 4ª Turma Recursal Cível do RS considerou vexatório o método de cobrança, ao apreciar e negar o recurso do credor, mantendo o direito à indenização. A relatora do recurso negado, juíza Gisele Anne Vieira Azambuja, disse que a postagem foi injustificada, porque há meios legais para a cobrança de dívidas. “O autor foi atingido em sua honra e dignidade para ‘convocação para pagamento’ através da rede mundial de computadores”,  destacou a juíza.

É importante ficar sempre atento às formas legais de cobrança, para assim, evitar futuros problemas e maiores prejuízos. Existe empresas do seguimento de cobrança com técnicas e métodos experientes no mercado que realizam toda gestão do serviço, como referência, o Imobanco, que atua  integração a plataformas digitais. 

Comments

comments